FORMATION EN PSYCHANALYSE
À distance et en personne

01

Por que repetimos os mesmos erros

O mesmo inconsciente que nos impele a repetir com serenidade comportamentos bem-sucedidos nos leva também a repetir, compulsivamente, atitudes que conduzem ao fracasso. É dessa ambivalência que J.-D. Nasio trata nesse livro, com a clareza que caracteriza sua vasta obra. O autor toma como ponto de partida casos clínicos trabalhados por ele em seu consultório e enriquece essa exposição com excertos comentados de Freud e de Lacan e uma criteriosa seleção bibliográfica indicada para os que desejam aprofundar-se no tema.

Sorteio dia 28/02 às 20h no Instagram

02

Sim, a psicanálise cura!
 

Um livro que mostra através de casos clínicos comoventes como um psicanalista acompanha seus pacientes até a cura

J.-D. Nasio expõe de modo original a sua concepção e a sua prática de como conduzir uma análise. O livro foi construído em torno de 8 exemplos de seu consultório – como o Homem de Negro; Amália, a mãe violenta; e Clara, a bebê que se deixava morrer.

Autor de uma obra já consagrada e numerosa, Nasio explica em cinco etapas como a tarefa analítica se desdobra: da observação à interpretação, quando o analista “diz com clareza ao paciente o que este já sabia, embora confusamente”. Apresenta ainda quatro variantes inéditas da interpretação do psicanalista, que leva à cura. E conclui que ao fim de cada análise “o advento da cura continua a ser um enigma”.

“Nasio escreve e trabalha com uma inventividade que evoca a recomendação de Lacan de que cada analista deve reinventar a psicanálise. Não teme parecer simplista, e pede aos psicanalistas que se concentrem no essencial: não percam de vista a finalidade do tratamento e seus pontos fortes. Através de formulações ricas e quase sempre surpreendentes, comunica-se com os leitores de modo simples e direto – como se também aí exercesse sua escuta –, deixando neles uma forte marca de como a psicanálise é bela e profunda.” Marco Antonio Coutinho Jorge (PGPSA/UERJ)

Sorteio dia 31/03 às 20h no Instagram

03

A parte obscura de nós mesmos: Uma história dos perversos
 

Nesse livro, a prestigiada historiadora e psicanalista Elisabeth Roudinesco apresenta e interpreta a história dos perversos no Ocidente através de suas figuras emblemáticas: de Barba Azul e os santos místicos na Idade Média, ao fenômeno do nazismo, dos pedófilos e terroristas nos dias de hoje. Mostra como a perversão, definida em cada época de um modo diverso, exibe o que não cessamos de dissimular: a parte obscura de nós mesmos, a negatividade presente em cada um. E ainda reflete sobre a sua erradicação. Eliminar a perversão não seria destruir a distinção entre bem e mal que fundamenta a civilização?

Sorteio dia 30/04 às 20h no Instagram

04

Ressentimento
 

Ressentimento, obra pioneira da psicanalista e escritora Maria Rita Kehl, ganha, em 2020, uma nova edição pela Boitempo, com um novo prefácio e projeto gráfico. O livro aborda a conceitualização do ressentimento a partir de quatro pontos de vista: a clínica psicanalítica, a filosofia de Nietzsche e Espinosa, a produção literária e o campo político. O ressentimento não é um conceito clássico da psicanálise; assim, Maria Rita Kehl mobiliza tanto as suas observações clínicas quanto conhecimentos de outras áreas para definir e explicar a constelação afetiva que forma o ressentimento. “Ressentir-se significa atribuir ao outro a responsabilidade pelo que nos faz sofrer” – é desse modo que o ressentido se conduz a um beco sem saída: ao não assumir a responsabilidade sobre a própria situação, ele busca apenas uma vingança “imaginária e adiada”. Faz-se notar, assim, a atualidade do tema do ressentimento, presente nos conflitos sociais daqueles que não se veem como agentes da vida social e política. Apenas a partir da tomada de consciência da própria responsabilidade enquanto sujeitos de nossas ações é possível abrir mão da passividade – e dos ganhos secundários – da posição ressentida.

Sorteio dia 31/05 às 20h no Instagram